segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

“Poder de Deus”

O deus no controle não pode ser Deus porque precisa de algo ou, exerce uma função de ocupação de espaço como se lhe escapasse algo. Deus não necessita nada e nem tem que sobrepor-se ou, tomar, ou preencher, Deus é tudo em todas as coisas e nelas, pleno, sem vírgula ou reticências. Nesse sentido, falar do “poder” de Deus é um contra-senso.
Poder implica necessariamente alguma fraqueza e domínio; enfim, uma luta interna, uma necessidade contínua de auto-afirmação, de estabelecimento de um processo. Deus é mais que o poder, que o domínio, do que as oni (onipotência, onisciência, onipresença), do que deus, do que o que se diz de Deus, do que o Mais.
Deus é Deus, sem ter que ser Deus.
Onaldo Alves Pereira