terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Chegada total

Baratear para comprar ou explorar, eis uma velha e sempre nova tática.
Esse baratear instalou uma indústria transespacial e transecular de arapucas onde se quer pegar possíveis servos, ovelhas, seguidores etc.
Uma dessas arapucas é a idéia da transitoriedade dessa vida – ou, como prefiro, manifestação da vida. Uma vez transitória essa vida fica barata e pode ser usada conforme melhor convir aos mestres e senhores.
Não, a vida agora é tudo o que temos e não está de passagem! Ela é! Deus a faz perfeita em seus paradoxos, agora. Ela não é apenas o caminho, é a chegada, o destino.
Senão, seremos como ratinhos de laboratório na roda (não é a toa que a roda é o símbolo de tantas religiões) sempre indo sem chegar, prisioneiros do nada, escravos do ir.
Esse momento é uma chegada e teremos bilhões de outras, todas completas. Eis a plenitude da vida.

Onaldo Alves Pereira