quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

A minha fonte

Sou da fonte o motivo, ela jorra para mim
Sabe a fonte minhas entradas
E, delas, o mapa traz em si

Da vida, caudal imenso
Solta de si a fonte
Em sabores, cores, odores
Na visão interior ao ser
Profusão de muito mais
Que tem para dar de si, a fonte

Ela só é fonte por mim
Seca se não sou dela todo
Finda vazia, embora cheia
Se não quero dela sempre mais.
Onaldo Alves Pereira