sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Devolução.

Difícil exagerar a importância de constantemente devolver-se a si mesmo. Na sociedade a pessoa tende a ser seqüestrada de si mesma e instrumentalizada para fins que não o seu bem viver ou, a criação dessa possibilidade para os outros seres. A própria pessoa sai de si na tentativa de adequar-se a modelos oferecidos como o “ideal” ou o “obrigatório”.
Esse alheamento de si provoca no ser um estado de “morte” pessoal.
Devolver-se à integridade de si mesmo, ao corpo, ao prazer, à dor, à realidade própria, à alma e ao lugar verdadeiro onde está, é essencial à vida.
Onaldo Alves Pereira