sábado, 10 de janeiro de 2009

Anoitecer
O anoitecer faz “humm” de gostoso e derrama seu dourado pelos cantos antes de puxar sobre a terra seu manto escuro. O gorjeio dos pássaros sinaliza a hora do ninho. Os aromas acentuados oferecem-se sobrando.
A estrada fica mais comprida para os pés que voltam pra casa. Os amores acordam dos desvios do dia e sabem amar melhor. Debruçados nas janelas, os bem-quereres esticam os olhos.
Bichanos e cachorros acordam do calor da tarde e brincam, espoletas.
Temperos refogados harmonizam o lar.
O que resta do dia faz beicinho de abuso e esconde a cara no regaço da serra.
Onaldo Alves Pereira