sábado, 27 de dezembro de 2008

O bem na marra

Difícil entender o porquê dos seres humanos terem aprendido a fazer o bem a si mesmos na marra. Como pode ser que regras mínimas de organização do meio que visam facilitar a vida de todos tenham que ser impostas por lei?É doentio que atos de amor próprio tenham que ser obrigados. Exemplo disso as regras de trânsito, ignoradas, não obstante os riscos e as punições.Parece ser a proliferação do vírus da crença (às vezes inconsciente) num céu e num inferno a responsável por esse terrível desarranjo da mente. Por força dessa mentalidade, vai-se para o céu por medo do inferno, entra-se pelas portas do paraíso tostado pelas chamas da danação eterna, santifica-se pelo terror do mal, encontra-se Deus fugindo do diabo... Essa dinâmica terrorista é reproduzida na vida comum da humanidade, no dia-a-dia social e na elaboração das regras e leis.Aprendeu-se milenarmente a amar por lei, inclusive a si mesmo. Temos nisso a fonte de infelicidade mais terrível.
Onaldo Alves Pereira