quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Como se fosse o primeiro amor


Viva cada dia como se fosse o seu último. Essa máxima, tão do gosto de quem pretende chamar para uma maior dedicação e qualidade no agir diário, usa como elemento valorizador a escatologia. A morte vira estímulo e, o fim das coisas o seu qualificador.
Essa é uma mentalidade que desvaloriza a vida. Ao colocar a morte como o filtro final a vida ganha o caráter de qualquer coisa, fica desimportante a não ser sob a foice da “madame”.
Talvez fosse preciso aprender que cada dia é um valor em si, que não carece pressão escatológica alguma para ser o melhor.
Além disso, se algum estímulo é necessário, que tal apelar às primeiras coisas. Viva hoje como se fosse o primeiro dia de sua vida, o seu primeiro amor, a sua primeira viagem etc!
Onaldo Alves Pereira