quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Nu


Quando o moral fica reduzido à roupa, falido fica o bem da vida. Vestida ou nua, por costume cultural ou desejo, a pessoa vale mais que o que nela salta aos olhos. Belo corpo vestido com arte, bonito corpo desnudo com candura. Lindo erotismo do vestir-se com pudor. Magnífico corpo pelado como a flor, agradável corpo, guardado em discreto resguardo.
Belo é o corpo velho, como o novo, as rugas enfeitam tão bem como a tenra pele e, treinar-se para assim enxergar o corpo é exercício espiritual dos mais elevados!
Deus é de bem com o que idealizou: a bela nudez, como a capacidade de cobrir-se com enfeitado capricho. Com os efeitos do tempo, ou outros fatores, o corpo é sempre mais que o que parece ser. Nu ou vestido do mais fino tecido ou, em trapos coberto, é mais o corpo.
No aroma da malva fresca!
Onaldo Alves Pereira