segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Descomprometer-se

Descomprometer-se com as estruturas que pretendem ordenar a vida é bom!
Essas estruturas, na maioria das vezes, complicam desnecessariamente o andamento das coisas, amarram sem necessidade e concedem poder destrutivo a uns poucos.
Partidos, organizações religiosas, governos, etc, a menos que sejam reinventados, são inimigos do livre fluxo da vida. Algo que poderia, facilmente, e sem maiores atropelos, ser resolvido em um dia, quando cai nas mãos dessas estruturas perde-se num emaranhado de carimbos, papéis, assinaturas, consultas, negociações e, além de ficar caro, estressa e adoece!
O que chamam de democracia, por exemplo, é a arte da enrolação por excelência e o maior concentrador de poder que há. Ela cria autoridades “divinizadas” pelo voto popular, entidades intocáveis e tiranas que ficam mais fora do alcance popular que os deuses. Discute ignorantemente e ao infinito as coisas mais simples. Cria leis das quais se esquece logo de imediato. Formaliza e ritualiza banalidades. Pretende legislar sobre bobagens tais como: quem pode conviver com quem amorosamente, o uso ou não de roupas, etc. Tudo isso é feito com pompa e ares de suprema importância. O que seria apenas um detalhe técnico, ou de gosto privado, ganha uma dramaticidade completamente idiota. Os cargos executivos deveriam ser preenchidos por profissionais com formação para tal e concursados, o legislativo enxugado radicalmente e racionalizado e, o judiciário des-ritualizado e simplificado.
Reuniões sem fim repetindo ad nauseam assuntos desagradáveis. Reuniões para marcar reuniões. Papéis e mais papéis desperdiçados com nonsense que jamais será lido por alguém. Livre-se disso, desse vício que amargura as almas e empobrece as mentes!
Existe algum movimento visando desconstruir tudo isso? Una-se a ele!
Desconfie, contudo, de reuniões de mais de uma hora ou muito freqüentes, tarefas demais e de discursos milagrosos.
Religiões que exigem muito tempo, obrigações, ritos e sacrifícios?! Fuja delas! São vampiros do espírito. Tornam as pessoas imprestáveis e dependentes para fazer delas zumbis a seu serviço. Você nunca irá a uma dessas que não lhe diga que está na pior e precisando urgentemente de seu socorro! Cada uma é única e insubstituível e seus “donos” portadores da “verdade”!
Vai abrir conta em um banco, comprar bens ou serviços? Opte pelo que pedir menos documentos, assinaturas e garantias e faça-lhes saber isso!
Fuja de complicações! Evite burocracias! Seja inimigo declarado do estado grande, essa monstruosidade anacrônica! Prescinda dele em tudo que puder e viva de tal forma a ter que pagar o mínimo de impostos possível!
Essas monstruosidades criaram e vivem da miséria e violência que estão aí!
Por outro lado, apóie entusiasticamente as novidades simplificadoras em todas as áreas, regras poucas e claras, o que vem escrito em poucas palavras, o que gasta pouca conversa para resolver, o que flui naturalmente no ritmo da vida! A iniciativa privada, a ciência, o rápido e informal são salutares.
O seu tempo, emoções e forças são para o bem, para a criação de beleza e prazer! Não permita que lhe roubem a vida. Não jogue a vida no lixo das estruturas complicadas!
Onaldo Alves Pereira