domingo, 8 de fevereiro de 2009

O euzinho e o euzão

O euzinho/euzinha precisa ser redimensionado para chegar a ser “eu” e, passar a elaborar o processo de vir a ser “euzão”.
O euzinho, negado e sufocado, precisa cada vez mais de auto-afirmação e desenvolve atitudes e comportamentos destrutivos. O espernear-se sob o peso do que o pretende diminuir provoca estragos terríveis. Os cortes para fazê-lo caber na forma social ou religiosa causam sofrimento.
O “eu” é do tamanho desenhado pela Boa Mente de Deus. Tentar anulá-lo ou diminuí-lo é lutar contra a dignidade divina dos seres imaginados por Deus.
O eu, do tamanho criado, é uma semente apenas de algo maior que se desenvolverá até a plenitude de Deus em nós.
O “euzão” é o eu de Deus no mundo.
Onaldo Alves Pereira